Fórum ANJB
Entrevista a Fernando Rocha
Entrevistas
Domingo, 24 Agosto 2014 18:11

Em véspera do início do Campeonato do Mundo de Basquetebol em Espanha, de 30 de Agosto a 14 de Setembro, falámos com o Fernando Rocha no sentido de compreender como se sente e o que espera da sua participação neste campeonato. Uma entrevista que pode seguir nas linhas seguintes.

 

 

1 - Obviamente esta foi uma nomeação mais que esperada, pelas nomeações antecedentes na tua brilhante carreira. Queres comentar?

 

Não se pode dizer que era uma nomeação esperada, pois a este nível há muitos árbitros de grande qualidade e o basquetebol português não tem qualquer peso a nível internacional. De qualquer modo, estava a contar com a presença em uma das quatro competições a nível mundial que se disputam este verão (Campeonatos do Mundo seniores masculino e feminino e Mundiais de Sub17 masculino e feminino).

Tenho tido uma presença assídua nas competições organizadas pela FIBA Mundo e, portanto, estava esperançado em estar presente numa delas. Tendo-se confirmado a presença na principal competição Mundial, é mais uma vez, um grande orgulho e uma grande responsabilidade representar a arbitragem nacional.

Estou, como é óbvio, muito contente e reconhecido pela confiança depositada e irei procurar estar no meu melhor momento para poder representar com qualidade a nossa arbitragem.

 

2 - Depois de no final das Competições, esta época, o Campeonato do Mundo ainda dista uma certa distância. Qual a preparação que tencionas fazer, para chegares ao Mundial, no melhor da tua forma?

 

Esta época desportiva que agora termina foi muito exigente em termos físicos e mentais, portanto irei descansar uns 15 dias e depois iniciar novamente a minha preparação. Irei iniciar a minha preparação física na última semana de junho de forma a estar preparado para a primeira competição da nova época que é a participação no Europeu de Sub20, divisão A, que se disputa em Creta a partir de 8 de Julho.

Depois, quando regressar, irei intensificar a preparação física com treinos bidiários. De manhã com treino de força e da parte de tarde com corrida visando as vertentes aeróbia e anaeróbia. Posteriormente, já tenho dois torneios de preparação em Agosto, um na Polónia e outro em França, para poder treinar em competição e assim ganhar novamente rotinas de forma a apresentar-me no Mundial na melhor forma possível.

 

3 - Apesar da qualidade do Basquetebol praticado em Portugal ter regredido, a Qualidade da Arbitragem Portuguesa tem continuado a elevar o seu nível, dentro de portas e principalmente fora de portas. Qual a tua explicação para este facto?

 

O estarmos presentes nas principais competições da Euroliga e da Fiba Europa, onde a qualidade, intensidade e ritmo são muito superiores é claramente um factor decisivo. A exigência e o profissionalismo existente faz com que tenhamos que nos superar constantemente e assim estarmos mais preparados mentalmente para todas as incidências da competição.

Os árbitros internacionais, com a sua experiência acumulada, transmitem aos outros árbitros o seu conhecimento e assim promovem a melhoria global da arbitragem nacional. O jogo, e por consequência a arbitragem, estão em constante evolução e temos de ser capazes de nos adaptar o mais rapidamente possível ao basquetebol moderno.

Infelizmente, as nossas equipas não tendo contacto internacional e o conhecimento prático dessa realidade, faz com que a sua evolução seja mais difícil. Mas, quero aqui deixar uma mensagem, não se pode cair no erro de dizermos que estamos acima do nível do jogo e depois não trabalharmos para demonstrá-lo todas as semanas.

Tenho observado a tendência de dizermos que somos melhores que o jogo e depois não somos exigentes e criteriosos em todos os jogos. Vivemos à sombra desse reconhecimento e isso leva a uma estagnação nas prestações e a um menor envolvimento e qualidade no serviço prestado. Quem não trabalha e quem não procura ser melhor todos os dias acaba por ser ultrapassado rapidamente por outros que o façam.

Eu procuro ser melhor todos os dias, observando e analisando o que podia ter feito diferente e melhor. Para isso necessitamos de ter capacidade de autocrítica e uma busca constante da excelência.

Temos que encontrar em qualquer jogo a motivação para estarmos ao melhor nível, pois para quem joga esse é o melhor jogo de todos e temos de respeitar a competição independentemente do nível técnico com que é jogada.

 

4 - Faz-nos um balanço das tuas nomeações internacionais, para dar-mos a conhecer aos mais novos, um pouco mais do teu brilhante percurso.

 

Relativamente às nomeações internacionais, na minha longa carreira existiram vários pontos altos, felizmente. Principais competições arbitradas:

- Final 8 da ULEB CUP em 2008, em Turim (Itália)

- Final 4 da EUROLIGA Masculina em 2009, em Berlim (Alemanha)

- Final 4 da EUROCHALLENGE Masculina em 2009, em Bolonha (Itália)

- Jogos da Lusofonia em 2009, em Lisboa

- Campeonato do Mundo de Sub-19 Feminino em 2009, na Tailândia, tendo arbitrado a final da competição

- Campeonato da Europa de Seniores Masculinos em 2009, na Polónia

- Final 4 da EUROCUP Masculina em 2010, em Vitória (Espanha), tendo arbitrado a respetiva final

- Campeonato do Mundo de Seniores Masculinos em 2010, na Turquia

- Campeonato da Europa de Seniores Masculinos em 2011, na Lituânia

- Campeonato do Mundo de Sub 19 Masculinos em 2011, na Letónia

- Final Four da EUROCHALLENGE Masculino em 2012, em Debrecen (Hungria), tendo arbitrado a respetiva final

- Campeonato do Mundo de Sub 17 Femininos em 2012, na Holanda

- Final da EUROCUP em 2013, em Charleroi (Bélgica), como árbitro principal

- Campeonato da Europa de Seniores Masculinos em 2013, na Eslovénia

- Final Four da EUROLIGA Masculina em 2014, em Milão (Itália)

 

A ANJB agradece mais uma vez a tua disponibilidade e simpatia na resposta às nossas questões e deseja-te uma excelente participação neste Campeonato do Mundo, representando e dignificando a arbitragem portuguesa.

 

A Direcção.

 

 

   
       

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.